Tópicos | educação

Tão importante quanto a figura familiar, os professores são essenciais não só na formação acadêmica dos alunos, mas também, na construção do caráter e personalidade dos futuros cidadãos. Ao acompanhar o crescimento no decorrer da vida acadêmica, os docentes desenvolvem o sentimento de compromisso com os estudantes, que durante sua trajetória, levam um pouco daquele professor, que o ensinou não só matemática, história ou geografia, mas também, as disciplinas da vida, formando acima de tudo, um ser humano. Exemplo em sala de aula, muitos deles são tidos como heróis, nos quais, os educandos se espelham.

Alguns deixam marcas indeléveis na história pessoal dos estudantes; outros criam laços afetuosos que durarão para o resto da vida. Com certeza, cada um que passou pelo ambiente escolar, lembra-se daquele ou daquela professora pela qual sempre obteve um sentimento de afeto, carinho e identificação. No Colégio Damas, que fica no bairro das Graças, Centro do Recife, os laços construídos entre aluna e professora passaram de geração a geração.

##RECOMENDA##

De mãe para filha

 A esteticista Thatiane Marroquim relembra com carinho das aulas de educação física da professora Olindina Mendonça. A ex-aluna relata que Olindina sempre a tratou como uma filha, de maneira afetuosa e carinhosa, sempre com os braços abertos e um olhar sincero, de uma profissional que ama o que faz. “Ter aula com tia Olindina para mim foi uma honra. Ela sempre me tratou de forma muito amorosa, com certeza é uma professora que marcou a minha vida”, destacou.

O carinho e admiração pela professora fizeram com que Thatiane matriculasse sua filha, a pequena Isadora Marroquim de apenas seis anos, nas aulas da educadora. “A minha filha fala dela com o mesmo entusiasmo que eu tinha quando participava das aulas. Tia Olindina se envolve com os alunos como se fossem filhos. Eu guardo um carinho muito grande por ela, principalmente porque agora ela cuida da minha filha”, falou.

O reconhecimento e gratidão de Thatiane Marroquim é confirmado na confiança que deposita na professora, para ensinar sua filha de seis anos / Foto: Reprodução/TV LeiaJá

Alunos vêm e vão, as lições ensinadas pelos professores ficam. Ser professor é bem mais do que apenas algumas horas em sala de aula, ser professor é ter responsabilidade com o futuro. Antigos estudantes, hoje homens e mulheres já formados, reconhecem a grandeza desses profissionais. Thatiane é grata por ter encontrado em sua trajetória, professores como Olindina Mendonça, que com cuidado, atenção e paciência, ajudaram na formação acadêmica e pessoal da cidadã que é hoje. “Profissionais como a professora Olindina devem ser parabenizados por todo amor e compromisso que durante todos os anos de trabalho sempre dedicaram a nós alunos. Isso fica marcado para sempre em nossas vidas e com certeza passa para nossos filhos, como é o meu caso, que tenho a honra de ver minha filha sendo ensinada por uma profissional talentosa como ela”, afirmou.

Uma vida dedicada à educação

Olindina Mendonça Bezerra tem 39 anos de profissão, todos dedicados à educação infantil. Estar rodeada por crianças é o desejo de uma recifense que ama o que faz. Segundo a professora, a vocação de lecionar para os pequenos vem com ela desde quando decidiu se tornar uma profissional de educação. Com a emoção no olhar, Olindina relata a satisfação de ver os ex-alunos retornarem ao ambiente escolar com seus filhos, trazendo com sigo um abraço apertado e um “obrigado”, de quem reconhece a importância do trabalho feito com dedicação e muito amor. “Com certeza é criado um laço de afeto com meus ex-alunos, e vê-los já grandes, trazendo seus filhos para ter aula comigo depois de anos, é muito gratificante, demonstra o carinho e confiança de uma pessoa que desde pequena contribuí em sua formação acadêmica e pessoal”, disse.

Professores carregam e deixam marcas dos alunos, guardam consigo os detalhes de cada turma que passou por suas mãos. Muitas vezes os papeis se invertem, e os tutores também aprendem com os pupilos. O prazer de ter os pequeninos todos os dias faz com que Olindina ame o que faz. “A minha vida é isso aqui, eu amo isso, eu os amo, meus alunos para mim são tudo, não tem como eu viver sem eles. A parte mais gratificante do meu dia é quando eles chegam e me dão um abraço apertado, esse carinho é o que me move para ser uma profissional cada vez melhor. Eu amo ser professora, educar para mim é tudo”, falou emocionada.

Um dia seria pouco para homenagear esses profissionais fundamentais para o desenvolvimento da sociedade. Professores são dádivas, presentes que são dados os estudantes ainda pequeninos e que permanecem em sua memória e coração para o resto da vida. Valorizar esses profissionais é mais que um dever, é uma obrigação. Olinda conta que já educou famílias; pais, mães e agora filhos. A da marca da professora está presente nos lares de cada um que já recebeu suas instruções. Neste dia 15 de outubro, a docente revela que o maior presente que pode receber é a gratidão e o reconhecimento. “Eu os vejo voltar e me abraçar, agradecendo por tudo que ensinei, pela contribuição que dei para sua vida, isso é o meu presente, é extremamente gratificante ver o reconhecimento desses ex-alunos”. O agradecimento mais profundo a esses profissionais que marcam, ensinam e educam gerações.

Economistas que assessoram o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) preparam um plano para ampliar vagas em creches, que prevê ensino religioso para crianças de 0 a 3 anos. Direcionado para famílias pobres, com renda per capita de até um salário mínimo, pretende universalizar o acesso à creche para essa faixa. Segundo o documento ao qual o Estado teve acesso, para alcançar essa meta, o governo repassaria dinheiro para instituições não governamentais, como igrejas, e para pais que optarem por escolas particulares.

Hoje, há creches conveniadas às prefeituras, mas as instituições sem fins lucrativos precisam provar que já trabalham com educação. O projeto cita que "serão estipulados indicadores da qualidade dos serviços", com punição de descredenciamento para as instituições que não cumprirem os requisitos. A proposta não detalha, porém, como será a seleção das entidades.

##RECOMENDA##

Segundo apurou o Estado, a ideia em análise prevê que convênios com escolas privadas sejam feitos por meio da política conhecida como vouchers, alinhada com o projeto liberal do economista Paulo Guedes, que coordena boa parte do plano de governo de Bolsonaro. Por esse sistema, o governo repassaria dinheiro às famílias pobres para que elas paguem creches privadas. O presidente americano Donald Trump deu ênfase aos vouchers. Mas o sistema ainda é controverso por lá. Estudos sobre estados americanos que adotaram a política não indicam melhora na qualidade do ensino.

Verbas

No Brasil, só 30% das crianças de 0 a 3 anos estão em creches. O Plano Nacional de Educação prevê que o atendimento seja de 50%. Pesquisas têm mostrado que a educação infantil de qualidade é crucial para o desenvolvimento.

O custo do projeto seria de R$ 49 bilhões, o equivalente a metade do orçamento atual do Ministério da Educação (MEC). Os cálculos foram feitos por Alexandre Ywata e Adolfo Sachsida, ambos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), uma fundação pública vinculada ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Eles têm papel de destaque nas discussões do programa de Bolsonaro e atuam na campanha em suas horas vagas.

A proposta prevê que o governo federal repasse R$ 7 mil por aluno ao ano e projeta vagas para cerca de 6 milhões de crianças que estão fora das creches. "É interessante a ideia de priorizar as vagas para os mais vulneráveis, mas não consigo saber de onde vai sair tanto dinheiro", diz a especialista em financiamento da educação Mariza Abreu. Segundo ela, a previsão é que o MEC destine este ano R$ 13,6 bilhões para todo o ensino básico, que inclui creches, pré-escolas, fundamental e médio, por meio do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). "Difícil usar quase quatro vezes esse valor só para creche."

Os desembolsos começariam em 2019. No primeiro ano, seriam R$ 12 bilhões, para famílias com renda de até um quarto de salário mínimo per capita. O montante seria elevado gradualmente até chegar a R$ 49 bilhões. A elevação de gastos seria compensada pelo fim de desonerações tributárias - isenções dadas a empresas, que tiveram o pagamento de tributos reduzido temporariamente. O programa de Bolsonaro considera como "fundamental" a redução das renúncias fiscais.

O problema é que o mesmo programa fala em zerar já em 2019 o déficit nas contas públicas. Como ele já prometeu que não irá aumentar impostos, a equipe de Guedes terá de promover um expressivo corte de despesas. A elevação de gastos significaria, no mínimo, um esforço maior de cortes em outras áreas.

Legislação

Creches com ensino religioso também são vistas com ressalvas. Segundo a lei, ele pode ser oferecido só no ensino fundamental (1.º ao 9.º ano) e "com respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedadas quaisquer formas de proselitismo". Em 2017, no entanto, o Supremo Tribunal Federal declarou que não era inconstitucional oferecer ensino confessional - direcionado a uma religião.

"A pedagogia não pode estar submetida à orientação religiosa. A escola é um lugar de diversidade, ainda mais a educação infantil, que é a primeira instituição da criança", diz a professora da Universidade Federal de Minas Gerais Monica Baptista. Ela defende que a ampliação se dê com creches públicas e parâmetros de qualidade já definidos.

Apoio a mais vagas

No programa de Fernando Haddad, a ampliação de vagas em creche também aparece como prioridade, mas a estratégia é outra. O ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo propõe apoiar "fortemente os municípios" para a criação de vagas "com qualidade".

O programa afirma que o cuidado com a primeira infância - período que vai do nascimento da criança até os 6 anos - será "uma diretriz estratégica do governo, de caráter transversal, com ações de proteção integral, em todas as áreas". Haddad também defende políticas voltadas para a pré-escola. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 A partir da próxima segunda-feira (15), será realizado em vários munícipios de Pernambuco a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT). Este ano, o evento terá como tema “Ciência para Redução de Desigualdades”. No Estado, a SNCT será coordenada pelo Espaço Ciência, mas contará com programações em vários municípios, de forma integrada. Em alusão à data comemorativa, eventos também srerão realizados em vários munícipios em todo o Brasil.

Segundos os organizadores, o objetivo é “despertar o interesse da população pelo conhecimento científico e estimular o debate sobre o papel da Ciência na redução de desigualdades”. A abertura oficial da SNCT será realizada no dia 15 deste mês, no município de Pesqueira, Agreste pernambucano. Porém, nos dias 12 e 13 será realizado o Encontro de Astronomia do Nordeste, na cidade de Bezerros, também no Agreste do Estado.

##RECOMENDA##

Várias cidades do Estado receberão mostras de Ciência, palestras, oficinas, minicursos e outras atividades relacionadas ao tema. Serão realizadas viagens como a Caravana da Astronomia e o Ciência Móvel, que percorrerão os munícipios de Pesqueira, Arcoverde, São Vicente Férrer, Timbaúba, Lagoa do Carro, Macaparana, Ipojuca, Garanhuns, Itacuruba, Macaparana, Ouricuri e Araripina.

O encerramento oficial do evento será em Macaparana, Zona da Mata. Ainda assim, algumas ações serão realizadas posteriormente nos municípios de Araripina, Ouricuri e Lajedo. Os interessados podem conferir a programação detalhada no site do Espaço Ciência.

Na reta final de preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que deve ser realizado por mais de cinco milhões de estudantes nos dias 04 e 11 de novembro, os professores recomendam direcionar o foco em temas que costumam aparecer com mais frequência na prova. Neste caso, os aulões aparecem como uma alternativa de estudo direcionado e descontraído, mas enriquecedor para os estudantes. O aulão do Vai Cair no Enem foi um exemplo disso. Realizado em duas edições, o evento além de contar com plateia presencial, foi transmitido em diversas plataformas digitais para milhares de estudantes.

O LeiaJá preparou uma lista com os aulões que antecedem a prova nesta reta final, no Grande Recife. Confira:

##RECOMENDA##

Aulão Primeiros Socorros para Enem

Data e local: 14.10 – 08h / UNINASSAU – Bloco B

Endereço: R. Guilherme Pinto, 400 - Derby, Recife - PE

Inscrição: ingressos a R$ 30 e 1Kg de alimento não perecível, na Sede do Conexão Vestibulares (R. Felíciano Gomes, 292 - Derby) ou pelo número 3034-2098

Aulão solidário – Os Caras de Pau

Data e local: 15.10 - 14h / Sede Os Caras de Pau do Vestibular

Endereço: R. Corredor do Bpo., 90 - Soledade, Recife – PE

Inscrição: ingressos a R$ 5,00 e 1Kg de alimento não perecível, na sede do Pré-vestibular (endereço acima).

Aulão VS 2018

Data e local: 20.10 - 08h30 / Campus Recife da universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Endereço: Av. Prof. Moraes Rego, 1235 - Cidade Universitária, Recife – PE

Inscrição: ingresso a R$ 15, no Centro de Educação da Instituição (endereço acima), de segunda a sexta das 14h às 17h, ou pelo site.

Aulão solidário – NCN Vestibulares

Data e local: 20.10 - 08h / sede NCN Vestibulares.

Endereço: Av. Caxangá, 3094 - Madalena, Recife - PE

Inscrição: ingresso a R$ 5 e um brinquedo, na sede do NCN (endereço acima).

Aulão Arena Enem

Data e local: 27.10 – 14h / Arena de Pernambuco.

Endereço: Arena de Pernambuco - São Lourenço da Mata, PE

Inscrição: ingresso a R$ 35, pelo site.

Aulão A+MDM

Data e local: 27/28.10 - 08h / Auditório Rosa Lopes - Unibra.

Endereço: R. Padre Inglês, 257 - Boa Vista, Recife – PE

Inscrição: ingresso a R$ 45, na sede do Melhores do Mundo - Rua do Riachuelo - Boa Vista, Recife - PE.

A cantora Jojo Todynho interagiu de forma diferente com os fãs nesta quarta-feira (9) para decidir um detalhe crucial da vida. Através de uma publicação no Instagram, a funkeira demonstrou interesse em frequentar uma faculdade e pediu a opinião dos seguidores para que eles a ajudassem escolher o curso de graduação ideal.

"Direito, Psicologia ou Enfermagem? Se Deus assim permitir eu irei entrar na faculdade, mas estou nessa indecisão", disse. Na rede social, internautas opinaram sobre o desejo da artista, onde também Gleici Damasceno, ex-BBB, e a atriz Adriane Galisteu deram suas dicas na postagem.

##RECOMENDA##

Em seguida, Jojo Todynho agradeceu o carinho das pessoas. "Estou imensamente feliz pelos conselhos. Agora é só aguardar e colocar em prática. Amo vocês. O conhecimento nos levará a qualquer lugar".

[@#video#@]

LeiaJá também

--> Sósia de Jojo Todynho impressiona pela semelhança

--> Jojo Todynho lança 'Arrasou viado' e é criticada na web

Embora nem sempre signifique vício, o tempo de tela é um alerta para a dependência digital. Essa é uma das conclusões de um estudo realizado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Foram aplicados questionários a 6.698 usuários do Facebook com perguntas como "Com que frequência você tenta diminuir o tempo que fica na internet e não consegue?".

O levantamento mostrou que uma em quatro pessoas faz uso abusivo da internet e 4,1% chegaram à dependência - quando trocam a realidade concreta pela virtual e passam a ter desprezo pela vida real. Entre os dependentes, a maioria passa mais de 10 horas conectada.

##RECOMENDA##

De acordo com Eduardo Guedes, autor do estudo e pesquisador do Instituto de Psiquiatria da UFRJ, pessoas de até 18 anos são as que mais fazem uso abusivo ou dependente, puxando para cima as estatísticas sobre vício digital. "Quanto menor a idade, maior a dependência", diz ele, que também faz parte do Instituto Delete, especializado em detox digital.

Tratamento

Outro núcleo de tratamento, ligado ao Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), recebe adolescentes e quer expandir o atendimento às crianças. O grupo, que funciona como um Alcoólicos Anônimos da vida digital, faz reuniões de uma hora e meia por 18 semanas. "Tentamos mostrar que existem outras atividades que não a tecnologia", diz Cristiano Nabuco, coordenador do Núcleo de Dependências Tecnológicas do HC.

Segundo Nabuco, o problema atinge todas as idades, mas preocupa ainda mais entre crianças e adolescentes. "Embora essa população possa ter consciência do que seria adequado ou ideal, não tem força biológica para exercer o controle." Irritação, falta de paciência e frustração quando os eletrônicos são retirados, afirma, são indicativos de que o tempo saudável de uso acabou.

Dicas

1. Tempo. Independentemente do tipo de tela, fique atento ao tempo de exposição de seu filho. "A TV abafa o pensamento consciente porque as imagens se sucedem muito rapidamente. Não dá para pensar em cada uma", diz Valdemar Setzer, do Departamento de Ciência da Computação da USP.

2. Diretrizes. A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que crianças de até 2 anos não tenham contato com os equipamentos. Para crianças entre 2 e 5 anos, a recomendação é de uso máximo de uma hora diária e, para as maiores de 6, até duas horas. As diretrizes são semelhantes às da Associação Americana de Pediatria.

3. Horário. Mesmo dentro da cota, evite o contato pouco antes do sono ou durante as refeições. A tela dificulta que o cérebro receba estímulos sobre sabor, textura. "E a noção de saciedade fica prejudicada", diz Liubiana Araújo, da SBP.

4. Tecnologia a seu favor. Para ajudar no controle de tempo, já existem aplicativos que conectam o celular dos pais ao equipamento dos filhos e indicam o número de horas que estão conectados.

5. Participação. Nos momentos de acesso aos equipamentos, esteja junto - o tempo nas telas não precisa ser solitário. Jogar videogame com as crianças ou comentar os filmes amplia as interações, importantes para o desenvolvimento infantil.

6. Dê o exemplo. Pais hiperconectados têm mais dificuldade em propor aos filhos que eles fiquem sem as telas. Experimente se desligar do celular por algumas horas.

7.Zonas livres. Crie em casa áreas sem aparelhos - como o quarto das crianças ou a sala de jantar - e momentos de "detox". Há famílias que já têm caixinhas, onde deixam os celulares quando chegam do trabalho ou da escola.

8. Sinais de excesso. Caso perceba um uso abusivo, procure ajuda psicológica. Falta de concentração, irritação e impaciência podem ser sinais de excesso. Ligado à USP, o site dependenciadeinternet.com.br reúne mais informações e dicas sobre vício tecnológico.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Instituto Serrapilheira divulgou no último dia 3 chamada pública de apoio à pesquisa científica. A proposta é financiar jovens cientistas com projetos nas áreas das ciências naturais – ciências da vida, física, geociências e química – matemática e ciência da computação. As inscrições serão abertas em 5 de novembro. Até lá, o candidato pode ir preparando a documentação exigida no edital.

Para concorrer às vagas, o pesquisador deve ter concluído doutorado entre 1º de janeiro de 2011 e 31 de dezembro de 2016. De acordo com o edital, este prazo pode ser estendido em um ano para mulheres com um filho e em dois anos para mulheres com dois ou mais filhos. Selecionados receberão o financiamento a partir de junho de 2019.

##RECOMENDA##

O programa é realizado em etapas. Na primeira, 24 pesquisadores serão selecionados para receber até R$ 100 mil por um ano. Após essa etapa, até três deles serão selecionados para receber um financiamento que pode chegar a R$ 1 milhão ao longo de três anos. Posteriormente, o apoio pode ser renovado anualmente e o valor pode chegar a R$ 300 mil por ano.

O Instituto Serrapilheira é uma instituição privada, sem fins lucrativos, localizada no Rio de Janeiro, que financia projetos com foco em produção de conhecimento e iniciativas de divulgação científica, não em aplicações tecnológicas.

Morador do município de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, o estudante de licenciatura do curso de ciências biológicas da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), William Johnson, de 20 anos, foi um dos quatro brasileiros selecionados para participar de um programa internacional de estudo na Bélgica - o ‘Identification Course on Aquatic Nematodes’.

O jovem se juntará a uma equipe de 20 estudantes de todo o mundo durante duas semanas na Universidade de Ghent - centro de referência em estudos da Taxonomia de Nematoda, dedicada aos animais do filo Nematoda marinhos e de água doce. William explica que além da aprovação, ele também foi um dos dois alunos ao redor do mundo selecionados para receber uma bolsa de isenção, fazendo, assim, o curso de forma gratuita.

##RECOMENDA##

Mesmo com o benefício, ele detalha que encontra dificuldades financeiras para custear as demandas da viagem. “Sou a primeira pessoa a ingressar no ensino superior público da minha família, que é humilde, embora tenhamos lutado muito para que eu me mantenha na graduação. Os custos para a viagem à Bélgica são altos, por isso, venho criando, junto com meus amigos e familiares métodos de arrecadar fundos”, explica.

Para o jovem, o conhecimento adquirido com o desenvolvimento do curso na Bélgica irá contribuir para o seu desenvolvimento como pesquisador. “Acredito na educação como um processo de transformação. Quero construir, a partir das minhas vivências acadêmicas, um futuro melhor para a sociedade. Esse é um passo não só meu, mas de todos que estão me ajudando e que acreditam na ciência, visando, assim, o desenvolvimento e toda uma nação”, enfatiza. O curso terá duração de duas semanas, de 10 a 21 de dezembro, e o processo seletivo foi realizado por meio de uma carta de motivação.

 Para viajar, William conta com a solidariedade por meio de doações - uma vaquinha virtual foi criada para ajudá-lo. Os interessados em contribuir podem acessar o link da vaquinha virtual ou entrar em contato através do telefone: (81) 98452-5982. “Me ajudando, eu não serei o único beneficiado, mas toda a ciência brasileira ganha junto, conto com você, qualquer ajuda é muito bem-vinda”, diz William.

A Videoprova em libras do Enem 2017 já está disponível no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A plataforma é similar à adotada na forma regular do Exame e tem como objetivo facilitar a preparação dos estudantes com deficiência auditiva por meio de resolução das questões de anos anteriores.

Ao ser disponibilizada com uma interface similar à da prova deste ano, o objetivo do Instituto é fazer que a adaptação dos estudantes seja mais eficiente. Antes, os vídeos com enunciados e respostas da prova em libras eram apenas encontrados no Canal do Inep no Youtube.

##RECOMENDA##

Para a edição de 2018, o Inep disponibilizará a Videoprova em Libras, juntamente com o gabarito, na nova plataforma desenvolvida pelo Instituto. A postagem do arquivo se dará simultaneamente a disponibilização do tradicional Cadernos de Questões do Enem. 

Confira a Videoprova de Matemática e suas Tecnologias do Enem 2017: 

[@#video#@]

 

Função afim, probabilidade e geometria foram assuntos abordados na aula de matemática dos professores Yago Henrique, Alberto Cesar e Ricardo Rocha durante a transmissão da segunda edição do Aulão Vai Cair no Enem. O encontro foi realizado no auditório da Overdrives, Centro do Recife.

O professor Alberto Cesar elogiou a iniciativa do evento e destacou assuntos que ele abordou em sua aula e podem cair na edição deste ano do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). “Cone, podendo aparecer com ênfase na proporção; e a probabilidade, que pode ser usada tanto na matemática e tanto na genética (biologia), com enfoque maior em eventos independentes e probabilidade condicional”, pontua. 

##RECOMENDA##

As aulas foram transmitidas através do Facebook do LeiaJá, Youtube e Instagram do ‘Vai Cair no Enem’, acompanhadas por milhares de feras de todo o Brasil. Confira as aulas na íntegra: 

[@#video#@]

Confira a aula do professor Ricardinho:

[@#podcast#@]

Além de matemática, o segundo aulão do Vai Cair no Enem abordou as disciplinas de química, física, biologia e redação. O Vai Cair no Enem é programa produzido pelo LeiaJá, com apoio da UNINASSAU. 

A segunda edição do Vai Cair no Enem apresentou diversos conteúdos essenciais para os feras que se preparam para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O encontro foi transmitido do auditório da Overdrives, no Recife, para feras de todo o País pela da internet. A aula de sobre física foi comandada pelos professores Rodrigo Rathunde e Hugo Souza, que abordaram temas como energia e sua conservação, refração, entre outros. 

Durante a aula, os estudantes acompanharam e interagiram de maneira virtual e presencial. Para o professor Rathunde, os conteúdos abordados são de extrema importância. “Assuntos como princípio de conservação de energia mecânica, princípio de energia ondulatória, fenômeno da refração e fenômeno da interferência caem com certa frequência no Exame”, afirma. 

##RECOMENDA##

As aulas foram transmitidas através do Facebook do LeiaJá, Youtube e Instagram do ‘Vai Cair no Enem’, acompanhadas por milhares de feras de todo o Brasil. Confira as aulas na íntegra: 

[@#video#@] 

Além de física, a segunda edição do Aulão Vai Cair no Enem abordou as disciplinas de química, matemática, biologia e redação. O Vai Cair no Enem é programa produzido pelo LeiaJá, com apoio da UNINASSAU. 

O Ministério da Educação (MEC) aguarda resposta do presidente Michel Temer sobre a possibilidade de adiar o início do horário de verão por conta do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O horário de verão está previsto para começar no dia 4 de novembro próximo, data do primeiro domingo de provas do exame.

“O presidente ficou muito sensibilizado, entendeu que é muito importante. [Ele] está recebendo os estudos técnicos do Ministério de Minas e Energia sobre o impacto disso e, quando tiver todas as informações, vai tomar a decisão. A gente espera que seja nos próximos dias”, disse hoje (2), à Agência Brasil, o ministro da  Educação, Rossieli Soares.  

##RECOMENDA##

O ministro da Educação, Rossieli Soares, no lançamento do Programa de Apoio à Inovação em Educação nas Instituições de Ensino Superior Privadas.

Com o início do horário de verão, os relógios em dez estados e no Distrito Federal devem ser adiantados em uma hora. Soares diz que conversou com o presidente e com os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, de Minas e Energia. “A demanda foi muito bem compreendida”, diz.

Como será

O Enem será aplicado nos dias 4 e 11 de novembro. A aplicação do exame segue o horário de Brasília, onde há horário de verão. Os portões abrem às 12h e fecham às 13h. As provas começam a ser feitas às 13h30.

“Temos situações de mudança de horário que podem acarretar prejuízo para os alunos da Região Norte, que ficam com fuso horário de três horas de diferença, o que dificulta ainda mais a alimentação e outras coisas”, ressalta o ministro da Educação.

“Tenho certeza que ele [Temer] terá um olhar especial para que os alunos tenham mais tranquilidade para fazer a prova. É uma prova sempre que traz muita tensão para o estudante”.  

Caso o pedido não seja acatado, o horário de verão começará à 0h do dia 4 de novembro e terminará em 16 de fevereiro de 2019.

Durante o período, os relógios serão adiantados em uma hora nos municípios dos estados de Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul , Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, além do Distrito Federal.

Enem

Neste ano, 5,5 milhões de pessoas em todo o país farão o Enem.

O exame seleciona os estudantes para vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e vagas no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

No primeiro dia do exame, no dia 4, serão aplicadas as provas de linguagens, ciências humanas e redação. A aplicação terá 5h30 de duração. No segundo dia, dia 11, haverá provas de ciências da natureza e matemática. Os estudantes terão cinco horas para resolver as questões.

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já estão sendo distribuídas pelos Correios em todo o País. A empresa é responsável pela retirada das 11 milhões de provas da gráfica e pela entrega para os munícipios que receberão o Exame, que será realizado nos dias 4 e 11 de novembro. 

De acordo com a empresa, as entregas são escoltadas pelas forças armadas em mais de oito mil rotas de transporte. Para garantir o sigilo do conteúdo da prova, o exército de cada região fica responsável por guardar o material temporariamente. Estima-se que mais de 1,7 mil municípios receberão o exame no país.

##RECOMENDA##

“Foi feita uma manutenção de todos os requisitos de segurança e a ampliação em cinco vezes dos detectores de ponto eletrônicos, ampliando assim a garantia igualdade entre os participantes”, afirmou Eunice Santos, diretora de Gestão e Planejamento do Inep, no Encontro Nacional para Alinhamento Operacional do Enem, que foi realizado em Osasco, na última quinta (27). 

Ainda não houve pronunciamento do Governo Federal sobre o pedido de adiamento do horário de verão - que originalmente está marcado para o dia 04 de novembro, data da primeira prova do Exame- feito pelo MEC. 

LeiaJá Também

-->Inep divulga redações nota mil do Enem

-->Enem: confira os assuntos mais recorrentes em física

[@#galeria#@]

Na tarde deste sábado (29), foi ao ar a segunda edição do aulão Vai Cair no Enem. O programa ao vivo contou com a participação de professores das áreas de Ciências da Natureza, matemática e redação, que abordaram conteúdos recorrentes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Assista ao aulão na íntegra:

##RECOMENDA##

[@#video#@]

O encontro foi realizado no Overdrives, centro de inovação com sede no Recife , e contou com o apoio da UNINASSAU - Centro Universitário Maurício de Nassau. Durante a oportunidade, estudantes de todo o Brasil acompanharam em plateia virtual, além do público presencial, uma série de aulas dinâmicas. A transmissão foi realizada através do Facebook do LeiaJá, YouTube e Instagram do Vai Cair No Enem.

Os feras que marcaram presença destacaram a importância do evento: “Estamos na reta final de preparação para prova. O aulão veio em boa hora para revisar os conteúdos e fortalecer o repertório. Além de colher novas explicações sobre os assuntos, abrindo os horizontes para novas perspectivas”, destaca Nataly Freitas, estudante de 17 anos.

Já o estudante Adriano Lopes, de 19 anos, pontua como o programa Vai Cair no Enem tem contribuído para a aquisição de conteúdos para a prova. “É comum do jovem está sempre conectado. Acompanhei a transmissão do último aulão por meio das redes sociais. Hoje, tive a oportunidade de integrar a plateia presencial do programa. Tenho certeza que os assuntos vão me ajudar a realizar uma boa prova”, conclui.

Na programação do encontro, discussões de química, física, matemática, biologia, e redação. No palco passaram os docentes Berg Figueiredo, Francisco Coutinho, Hugo Souza, Rodrigo Rathunde, Yago Henrique, Alberto César, André Luiz, Thayrine Rocha , Ricardo Rocha e Felipe Rodrigues. Foram mais de três horas de transmissão transmídia.

O docente Alberto César detalha como a iniciativa contribui para o fomento às discussões necessárias para o Enem. “Os feras precisam revisar os conteúdos, identificar as habilidades necessárias para cada uma das disciplinas e focar na revisão dos assuntos. Nesse espaço, nós - professores - estamos discutindo assuntos importantes e recorrentes na prova e contribuindo para o bom resultado do fera”, diz.

No dia 22 deste mês, foi transmitida a primeira edição do aulão do Vai Cair no Enem. Na ocasião, foram discutidas as matérias de história, geografia, filosofia, sociologia, português, literatura e redação.  O Vai Cair no Enem é um programa do LeiaJá e compartilha, diariamente, conteúdo gratuito para estudantes através do Instagram - @vaicairnoenem -.

Na prova de linguagens do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) são abordados conteúdos relacionados à língua, interpretação textual e literatura. A preparação para enfrentar as 45 questões aborda também a compreensão de assuntos importantes como charges e tirinhas. Analisando as últimas edições da prova, a presença de questões com esse gêmero textual são certas.

Para conquistar um bom desempenho, os candidatos devem compreender as especificidades desses gêneros textuais. Em entrevista ao LeiaJá, a professora de linguagens e redação Tereza Albuquerque destaca que o processo de construção dos gêneros charge e tirinha apresenta discussões de temas e situações recorrentes na sociedade. Em vídeo, a docente discute pontos relevantes de cada um dos gêneros; confira:

##RECOMENDA##

[@#video#@]

 De acordo com a docente, é importante exercitar questões que relacionem os gêneros. Nas últimas edições do Enem, foram apresentadas diversas charges e tirinhas para os candidatos. “Todo o candidato deve desenvolver as habilidades de compreensão desses gêneros. Eles, por sua vez, são questão certa em diversos vestibulares pelo país, especialmente no Enem”, conclui. Reunimos, em galeria, alguns exemplos de charges e tirinhas abordadas no Exame; veja:

[@#galeria#@]

A professora de língua portuguesa do Colégio GGE, Katiline Oliveira, ressalta a importância de identificar a estrutura desses gêneros. “Nas tirinhas existe uma sequência de quadros que complementam a situação. Já no cartum e charge, apenas um quadro é apresentado. Nessa situação, o candidato deve observar as diferenças e, também, pontuar a imagem como um todo - observando os elementos verbais e não verbais”, orienta. Nessas imagens são apresentadas críticas a diversas esferas sociais, que podem passar por assuntos como política e até mesmo esportes.

Outro ponto importante na identificação desse gênero é a referência ao tempo. No cartum, a imagem pode remeter a qualquer época. Já na charge, é discutido um período específico. A docente ainda destaca que para obter um bom resultado no Exame o candidato deve construir um repertório social que abranja questões ligadas à informação prévia e repertório sólido na hora da prova. “Por se tratarem de gêneros muito presentes no Enem, o fera deve se preparar. Esse processo é aprimorado com o conhecimento de realidade que pode diferenciá-lo na hora de identificar a crítica presente na imagem. Ter atenção durante a interpretação é fundamental”, ressalta Katiline.

Mas como responder corretamente a questão? De acordo com a professora, normalmente, os Exames esperam do aluno a compreensão geral da imagem. Para isso, é importante observar a crítica contida, que tem como intuito provocar a reflexão do candidato em relação ao conteúdo discutido. “Outro ponto muito cobrado é o propósito sociocomunicativo do gênero, que visa reconhecer qual é o sentido e a mensagem que o gênero quer perpetuar. O fera deve ficar atento”, argumenta. 

Entendendo os pontos diferentes e as funções da charge, a educadora Tereza Albuquerque separou duas questões relacionadas aos gêneros textuais. Para ela, é importante, desde já, que fera leia jornais e espaços nos quais esses gêneros são veiculados. Confira o vídeo com a resulçao das questões:

LeiaJá também

--> Professor aposta em temas delicados para a redação do Enem

--> Saiba como interpretar gráficos para o Enem

Amarelinha, carrinho de lata, fantoche de colher de pau, peteca e pé de lata. Quem nunca ouviu falar de algumas das mais tradicionais brincadeiras da cultura popular nordestina? Pensando nisso, está chegando nas livrarias o livro ”Brinque construindo: brinquedos sem fio na tomada” dos autores Jeane Karla Albuquerque e Ranniery José Dantas, que será lançado neste sábado (29), na livraria Vila 7, Espaço Toyolex, no bairro das Graças, às 15h.

A obra é uma publicação do Sesc Pernambuco e, tem por objetivo incentivar a redução do consumo de brinquedos industriais e o investimento de brincadeiras coletivas em que as crianças junto com os pais, construam os próprios brinquedos com materiais disponíveis em casa.

##RECOMENDA##

A publicação possui 96 páginas e, apresenta um coletânea com opções de 30 brinquedos, detalhando a história e ensinando a produção em 4 etapas utensílios e materiais, como fazer, registro fotográfico de cada peça que for concluída e modo de brincar. 

Serviço

Lançamento do livro Brinque construindo: brinquedos sem fio na tomada

Sábado (29) |15h

Livraria Vila 7, Espaço Toyolex | (Avenida Rui Barbosa - Recife)

Gratuito

Por Jhorge Nascimento

Não foi só Luzia, o fóssil humano mais antigo das Américas, que foi queimada. Também não foi só o esqueleto do Maxakalisaurus topai, o maior dinossauro montado que existia na América, que foi queimado. Nem foi apenas o trabalho de 90 pesquisadores que foi consumido pelas chamas. No incêndio que destruiu quase totalmente o Museu Nacional, o fogo levou parte da nossa história, da nossa memória – não só brasileira, mas mundial. Memória essa já esquecida por parte da população brasileira.

Mais antiga instituição científica do país, o Museu Nacional foi fundado por Dom João VI em 1818 – comemorou 200 anos em 6 de junho passado. Sua coleção abrigava mais de 20 milhões de itens, uma das maiores das Américas. Uma das coleções incluía múmias em sarcófagos jamais abertos.  O que fica disso tudo é: quem conhecia esse museu? Uma joia esquecida na Quinta da Boa Vista, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

É fato que o museu sofreu com a falta de investimento público nos últimos anos, mas também devemos atentar para o fato de que a própria população negava ou mesmo desconhecia a importância da instituição. Para se ter ideia, em 2017, 192 mil pessoas visitaram o Museu Nacional. No mesmo período, 289 mil brasileiros visitaram o Louvre, em Paris. Buscamos cultura no exterior, nos maravilhamos com as coleções de museus do mundo inteiro, e nos esquecemos de valorizar o que temos em casa.

Museus abrigam nossa memória cultural, política, social, nossa identidade enquanto nação. No entanto, parece que visitar o passado não é uma atividade que atrai. Que engano. Uma sociedade que conhece seu passado entende melhor seu presente para, assim, construir um futuro promissor. É preciso que pensemos melhor, a partir da tragédia do Museu Nacional, sobre a importância que damos à preservação e valorização de nosso patrimônio histórico e cultural.

O Museu Nacional terá que ressurgir das cinzas. O Palácio de São Cristóvão, que já foi a casa da família real brasileira, terá que ser reconstruído. Mas, que esse episódio trágico sirva também para fazer reacender em nós o interesse por nossa história, o gosto pelo conhecimento. Quantos outros museus precisarão queimar para que despertemos?

O Festival ID Musical vem com à proposta de promover um dia dedicado à cadeia produtiva musical com palestras e workshops. O evento acontece no próximo sábado (29), das 8h às 22h na Faculdade Integrada de Gestão e Meio Ambiente (Facigma).

O evento é gratuito e tem como objetivo motivar novas bandas a fazerem uma união com à economia criativa e assim gerar novas oportunidades de trabalho. As atrações musicais ficam por conta das bandas LuaMarte e Plugins.

##RECOMENDA##

Serviço

Festival ID Musical

Sábado (29)| 8h às 22h

Facigma (Rua Aluízio de Azevedo, 42, Santo Amaro, Recife - PE)

Gratuito

*Por Jhorge Nascimento

O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) iniciam, nesta quinta-feira (27), a distribuição das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A assinatura da ordem de expedição será integrada pelos pelos ministérios da Educação, Defesa, e Segurança Pública, além da presidência do Inep e dos Correios.

Os órgãos estarão presentes durante o Encontro Nacional de Alinhamento Operacional do Enem 2018, no 4º Batalhão de Infantaria Leve do Exército Brasileiro/Regimento Raposo Tavares, em Osasco (SP), nesta quinta-feira (27). O evento ainda contará com a presença dos coordenadores estaduais do Enem e representantes de todos os órgãos envolvidos na aplicação do exame.

##RECOMENDA##

O Enem será realizado nos dias nos dias 4 e 11 de novembro. Durante o Exame, os candidatos responderão questões nas áreas de Ciências Humanas, Naturezas, Linguagens, Matemática e Redação. A prova garante uma vaga nas instituições de ensino superior públicas e privadas do país.

LeiaJá também

--> Vídeo: professores dão dicas de redação para o Enem

--> Saiba os assuntos mais recorrentes de geografia no Enem

Nos dias 26 e 27 de setembro, o Porto Musical promove dois seminários gratuitos para o público interessado nos assuntos que se alternam no mundo da música. Os encontros são uma continuação do evento que ocorre na capital binealmente e visa manter ativos temas de profissionais da área musical durante o ano todo.

Na quarta-feira (26), será o seminário "A música brasileira e sua diversidade: mídia, consumo e acesso”, será apresentado pela diretora do Porto Musical, Melina Hickson, ao lado do Bruno Nogueira (Dep. De Comunicação Social/ UFPE) e Patricktor4 (Dj e gerente de programação da Frei caneca FM), às 14h no auditório Niate, localizado no Centro de Filosofias e Ciências Humanas da Ufpe.

##RECOMENDA##

O segundo seminário planejado é o de “Profissionais da música, possibilidades de desenvolvimento de carreira na área” que ocorrerá na quinta-feira (27), às 10h, no auditório do Porto Digital, contará com a participaçao do técnico de aúdio Adriano Lemos.

SERVIÇO

Porto Musical

Quarta-feira (26)|14h - (Auditório Niate - Ufpe)

Quinta-feira (27)|10h - Porto Digital - (Cais do Apolo, 222 - Recife)

Gratuito

Por Jhorge Nascimento

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando