Tópicos | escolas

A Prefeitura de Petrópolis está com inscrições abertas para 195 vagas de estágio. Há oportunidades para estudantes do ensino médio e superior. Do total de vagas, 14 são destinadas a pessoas com deficiência. Os candidatos passarão por prova, de caráter classificatório, prevista para o dia 24 de fevereiro. O contrato é de um ano, podendo ser prorrogado por igual período. 

Para o nível superior, o órgão disponibilizou 106 vagas, para as áreas de administração de empresas, administração hospitalar, arquitetura e urbanismo, ciências contábeis, ciências econômicas, direito, educação física, enfermagem, engenharia civil, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, informática, jornalismo (comunicação social), nutrição, pedagogia, psicologia, publicidade e propaganda, serviço social, tecnólogo em gestão de recursos humanos, tecnólogo em gestão de turismo, tecnólogo em gestão pública e veterinária. Já para os estudantes de nível médio/técnico, são 75 vagas técnico em administração, técnico em informática e técnico em radiologia.

##RECOMENDA##

Segundo a Prefeitura, a prova contará com 30 questões: 10 de língua portuguesa, 5 de matemática, 5 de informática, 5 de ética e comportamento no trabalho, e 5 questões de história e geografia de Petrópolis. Para se classificar, o candidato deverá fazer, no mínimo, 50 pontos.

Os interessados podem realizar inscrição até o dia 17 de fevereiro, pelo site da prefeitura. Após formalizar candidatura, o candidato deverá comparecer ao local de prova com documento original de identidade (foto), caneta esferográfica com tinta cor azul ou preta e material transparente.

LeiaJá Também

-->Caixa Econômica abre vagas de estágio no Brasil

-->Copagaz está com inscrições abertas para estágio

Com a posse do presidente Jair Bolsonaro e do ministro Ricardo Vélez Rodríguez foram feitas, esta semana, mudanças na estrutura do Ministério da Educação (MEC). A pasta passa a contar agora com a Secretaria de Alfabetização, a Secretaria de Modalidades Especializadas de Educação, além de uma Subsecretaria de Fomento às Escolas Cívico-Militares.

As novas secretarias e subsecretaria são voltadas principalmente para a educação básica, etapa que compreende desde as creches ao ensino médio e que, segundo Vélez Rodríguez, será prioridade do governo. Para implementar as mudanças nas escolas, o MEC precisará do apoio de estados e municípios, que detêm a maior parte das matrículas.

##RECOMENDA##

Escolas cívico-militares

Baseado no alto desempenho de colégios militares em avaliações nacionais, o governo quer expandir o modelo. Segundo o decreto que detalha as atribuições do MEC, haverá uma subsecretaria para desenhar uma modelagem de gestão escolar que envolve militares e civis e garantir a aplicação desse modelo nos estados e municípios.

É a chamada Subsecretaria de Fomento às Escolas Cívico-Militares. Pelo decreto, a adesão de estados e municípios ao modelo será voluntária. Em nota, o MEC explica que a presença de militares na gestão administrativa “terá como meta a resolução de pequenos conflitos que serão prontamente gerenciados, a utilização destes como tutores educacionais, para a garantia da proteção individual e coletiva, dentre outras visando a disciplina geral da escola. Os militares contribuirão com sua visão organizacional e sua intrínseca disciplina; os civis com seus conhecimentos pedagógicos, todos juntos farão parte desta proposta de estrutura educacional”.

Ainda segundo o MEC, o Brasil apresenta altos índices de criminalidade.“Neste contexto o Ministério da Educação buscará uma alternativa para formação cultural das futuras gerações, pautando a formação no civismo, na hierarquia, no respeito mútuo sem qualquer tipo de ideologia tornando-os desta forma cidadãos conhecedores da realidade e críticos de fatos reais”. Esse modelo será implementado preferencialmente em escolas em situação de vulnerabilidade social e para as famílias que concordam com essa proposta educacional.

Novas secretarias

As duas novas secretarias do MEC foram criadas a partir da extinção da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi): a Secretaria de Modalidades Especializadas de Educação e Secretaria de Alfabetização. Dentro da primeira, haverá, entre outras, uma diretoria voltada apenas para pessoas surdas, a Diretoria de Políticas de Educação Bilíngue de Surdos, além de uma estrutura voltada para apoio a pessoas com deficiência.

A pauta ganhou destaque no governo com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, que é intérprete de Língua de Sinais Brasileira (Libras). Na posse presidencial, ela quebrou o protocolo e discursou em Libras. A secretaria de Alfabetização, segundo o MEC, cuidará da alfabetização não apenas em português e matemática, mas também em novas tecnologias. Segundo o decreto, a secretaria se ocupará ainda da formação dos professores por meio da Diretoria de Desenvolvimento Curricular e Formação de Professores Alfabetizadores.

Estados e municípios

Para que essas medidas cheguem às salas de aula, será necessária a participação de estados e municípios. As entidades que representam os secretários municipais e estaduais de Educação ainda não se reuniram com a atual gestão do MEC. O Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), que representa os estados, tem reunião agendada para o final deste mês.

A presidente do Consed, Maria Cecília da Motta, secretária de Educação do Mato Grosso do Sul, disse que a entidade ainda não tem um posicionamento sobre as mudanças, uma vez que muitos secretários assumiram nesta semana. Segundo ela, independentemente do modelo escolar, cívico, militar ou cívico-militar, a prioridade dos estados, que são responsáveis pela maior parte das matrículas do ensino médio, é a implementação do novo currículo.

No ano passado, o MEC aprovou a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para essa etapa de ensino, que define o mínimo que deve ser ensinado em todas as escolas em todo o país. O prazo para a implementação é o ano letivo de 2021, quando começa a valer o novo ensino médio. “O nosso trabalho este ano todo é escrever o novo currículo, com a flexibilização. Ainda não sabemos o que vem de orientação, mas estamos organizando nosso movimento de formação em cima da BNCC”, disse Cecília.

Metodologia

O presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Alessio Costa Lima, disse esperar o detalhamento das escolas cívico-militares. Em relação à alfabetização, Lima destaca que os métodos aplicados no país são variados e devem ser considerados nas ações.

“A diversidade que existe no nosso país, metodológica, de práticas pedagógicas, de cultura, precisa ser respeitada. Nesse sentido, a nova secretaria tem que ter a sensibilidade para compreender todas essas nuances, para compreender os métodos aplicados”, afirmou, acrescentando que a melhor prática "é aquela que o aluno aprende".

LeiaJá Também

-->Diretor do Inep já acusou professores de manipular alunos

-->Ministra justifica fala de que ‘Enem prejudica família’

A Associação Nacional de Diretores (ANP, na sigla em italiano) da Itália ameaçou fechar as escolas de Roma em função do excesso de lixo nas ruas e calçadas da cidade.

O alerta foi feito em uma carta enviada à prefeita Virginia Raggi, do antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), que governa a capital há dois anos e meio, mas ainda não conseguiu solucionar um de seus maiores problemas crônicos.

##RECOMENDA##

Na carta, divulgada neste sábado (5), a entidade diz que o excesso de lixo "pode comportar, em alguns casos, até o fechamento das escolas, sobretudo as de ensino infantil e fundamental, cujo público é composto por crianças muito pequenas".

Roma sofre com problemas na coleta de lixo há vários anos, mas a situação se agravou em dezembro passado, por causa do incêndio em um de seus principais aterros, que era capaz de tratar 700 toneladas de resíduos por dia, quase um quarto do total produzido pela cidade diariamente.

Já neste domingo (6), a ANP recuou e disse que, após um "insólito ativismo da AMA [empresa responsável pela coleta e tratamento de lixo], que se ativou para limpar as zonas circundantes", todas as escolas de Roma devem abrir normalmente nesta segunda-feira (7).

"Mas continuaremos vigiando para que essas condições não se repitam", avisou o presidente da associação no Lazio, Mario Rusconi. 

Da Ansa

Os pais ou responsáveis que não matricularam seus filhos no sistema online do Recife, podem solicitar matrícula na rede municipal diretamente no balcão das escolas. As inscrições têm início a partir do dia 07 e seguem até o dia 18 de janeiro, com funcionamento das 8h às 12h e de 13h às 17h. Ainda restam cerca de cinco mil vagas disponíveis nas escolas da região.

Na matrícula, os responsáveis devem levar o comprovante da matrícula ou número gerado no ato da reserva, cópias de certidão de nascimento, carteira de vacinação, cartão do SUS, comprovante de residência e duas fotos 3x4.

##RECOMENDA##

As informações sobre a escola podem ser obtidas no Portal de Educação da Prefeitura. Ao total, a rede de ensino do Recife comporta 90 mil estudantes. Deste número, 70 mil renovaram automaticamente matrícula, o que possibilitou a abertura de 21 mil vagas para o ano de 2019.

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou uma alteração na Lei nº 9.394 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional). Com o novo artigo implementado, os alunos matriculados que, por motivos de crença, precisem se ausentar de provas ou aulas, poderão fazê-lo sem cobrança adicionais para remarcação das mesmas. Segundo consta no Diário Oficial da União, a medida é válida para alunos de instituições públicas e particulares, exceto as de ensino militar. 

O documento apresenta duas alternativas a serem tomadas pela instituição nestas ocasiões. A primeira é a realização de nova prova ou, se for o caso, aula de reposição. Para isso, a instituição deverá agendar nova data, no turno ou em horário marcado, com o consentimento expresso do estudante. A outra vertente é a solicitação de trabalho escrito, ou outra modalidade de pesquisa, com diretrizes definidas pela instituição de ensino. 

##RECOMENDA##

Com a implementação do artigo, os trabalhos de pesquisa, provas agendadas substituirão integralmente as notas das avaliações originais e, também, servirão para regularização do registro de frequência. A lei entra em vigor a partir de 60 dias da data de publicação e as instituições têm até dois anos para realizar as devidas adequações. Confira a publicação na íntegra.

LeiaJá Também

-->Ministra justifica fala de que ‘Enem prejudica família’

 

O prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PR), já afirmou que o município está “de cara nova” nesses dois anos de gestão. O gestor também parece querer tornar a cidade em uma referência quando se trata de educação pública. Em entrevista concedida ao LeiaJá, Anderson contou que a merenda escolar é preparada com um “cardápio especializado” que atende as necessidades dos alunos que precisam de uma atenção maior. 

Ele afirmou que vem implantando “soluções baratas”, mas inovadoras. “Os alunos de Jaboatão têm um cardápio especializada de acordo com as necessidades de cada um. Uma criança hipertensa, que tem problema com sal, por exemplo, a mãe comunica para a escola e a merenda é preparada de acordo com a necessidade dela”, contou. 

##RECOMENDA##

Anderson Ferreira também disse que 48 colégios de Jaboatão possuem dispositivos de presença facial. “A gente não vê isso nem em escola particular. É um aparelho que faz a leitura facial do estudante e, automaticamente, se esse aluno não chegar na escola, o pai recebe um SMS informando que o filho não chegou lá. Também é um controle para a merendeira saber a quantidade exata de crianças que estão presentes no dia”. 

O prefeito declarou que todo esse conjunto de iniciativas demonstra que a prioridade do governo é cuidar bem das pessoas. “O importante é que a população reconheceu isso. Hoje, você há de convir, que o resultado das urnas demonstrou isso”. 

“Nosso deputado federal André Ferreira teve 40 mil votos na cidade de Jaboatão, para a história da cidade é uma votação expressiva tanto o deputado estadual Manoel Ferreira, que obteve 18 mil votos, enquanto o meu antecessor que foi candidato a deputado estadual [Elias Gomes] teve quatro mil votos. O resultado eleitoral é um reconhecimento na nossa gestão já agora em menos de dois anos de gestão”, comemorou. 

Inclusão social também tem sido um foco do seu governo. Para iniciar o ano oferecendo oportunidades, a Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes, por meio da Secretaria Executiva de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo, na próxima segunda-feira (7), dará início às inscrições para cursos gratuitos profissionalizantes voltados ao seguimento da economia solidária. Para participar, os interessados devem ser residentes no Jaboatão dos Guararapes e ter cursado o Ensino Fundamental I. As inscrições poderão ser realizadas até o dia 7 de fevereiro, das 9h às 16h, na Agência do Trabalhador da Regional ou no Centro de Orientação Permanente à Economia Solidária (Copes). 

A Prefeitura do Recife abre, na próxima quarta-feira (26), a segunda etapa do sistema de matrículas para vagas nas escolas da rede municipal de ensino no ano letivo de 2019. As inscrições serão realizadas pelo site da Prefeitura e vão até as 23h59 do dia 28 de dezembro.  

Ao todo, 24.673 mil vagas foram ofertadas na primeira etapa do preenchimento, restando ainda oito mil a serem preenchidas. A rede municipal de ensino conta com cerca de 90 mil estudantes, desse montante, 70 mil já renovaram suas matrículas para o próximo ano. As vagas contemplam turmas de Educação Infantil, Ensino fundamental e Educação de Jovens, Adultos e Idosos (EJA) de todas as escolas, creches e creches-escolas do município.  

##RECOMENDA##

Após a confirmação da unidade de ensino selecionada, os pais ou responsáveis pelo aluno devem comparecer à escola ou creche, no período de 2 a 4 de janeiro, portando comprovante de reserva de matrícula (ou número de protocolo gerado no ato da reserva), cópias da certidão de nascimento ou casamento, carteira de vacinação, cartão do SUS, comprovante de residência e duas fotos 3X4. 

As matrículas também podem ser feitas nos computadores de uma das 36 escolas municipais de anos finais do ensino fundamental ou em uma das 18 Unidades de Tecnologia na Educação (Utecs). Para mais informações acesse o site da Prefeitura do Recife ou ligue para 0800.200.656. Os atendimentos são realizados de segunda a sexta-feira das 7h às 19h. 

 

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou na manhã desta quinta-feira (20) microdados referentes ao desempenho de cada escola com mais de dez inscritos nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) entre 2005 e 2015.

Os dados detalhados foram divulgados em tabela, que designava a média geral das provas de Ciências Humanas, Linguagens, Ciências da Natureza, Matemática e Redação de acordo com cada ano. No caso da prova de Matemática e suas Tecnologias, o estado com mais escolas no top 10 foi Minas Gerais, com quatro colocados. Oito das dez escolas são de autarquia federal. As outras duas, de autarquia estadual.

##RECOMENDA##

A maior média entre as escolas segundo os dados mais recentes, de 2015, foi 772,63, alcançada pelo Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais. Além de MG, os estados do Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Pernambuco, Paraná e São Paulo também fazem parte da lista. Confira:

[@#video#@]

LeiaJá Também:

--> Enem: veja escolas públicas com maiores médias de redação

Um painel de segurança estabelecido pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, após numerosos tiroteios em colégios recomendou nesta terça-feira (18) que as instituições de ensino considerem armar seu pessoal e utilizar policiais e militares da reserva como guardas.

O painel da Comissão Federal de Segurança Escolar, liderado pela secretária de Educação, Betsy DeVos, foi criado após o massacre em Parkland, Flórida, no mês de fevereiro, quando um ex-estudante matou 17 pessoas a tiros, provocando uma onda de protestos nos Estados Unidos exigindo um maior controle sobre a venda de armas.

A Comissão rejeitou os pedidos para o aumento da idade mínima exigida para a compra de armas, argumentando em seu relatório que a maioria dos atiradores em massacres em escolas obtiveram suas armas de familiares ou amigos.

Mas o grupo sugere armar o pessoal escolar, inclusive professores em certas circunstâncias, "para enfrentar a violência de maneira efetiva e imediata".

Os distritos escolares onde a resposta da polícia pode ser mais lenta, como nas zonas rurais, poderão se beneficiar particularmente desta medida.

O painel também recomenda que as autoridades das instituições de ensino contratem militares e policiais veteranos que "também possam servir como educadores altamente efetivos".

O relatório promove ainda uma revisão das pautas disciplinares introduzidas em 2014 durante a administração do democrata Barack Obama para enfrentar a discriminação contra estudantes negros e latinos.

A União Americana para as Liberdades Civis condenou tal revisão afirmando que "a administração Trump está explorando tragédias para justificar a reversão da proteção dos direitos civis das crianças nos colégios, apesar da falta de evidência que vincule a reforma da disciplina escolar aos tiroteios nos colégios".

Escolher a escola ideal para o filho pode ser uma tarefa difícil. Geralmente, pais ou responsáveis ficam inseguros na hora de tomar a decisão. Não é para menos, a escola é parte fundamental na formação socioeducativa de qualquer pessoa. É lá que a criança aprende valores fundamentais para formação de seu caráter e tem uma primeira noção de coletividade. O LeiaJá conversou com alguns especialistas em educação, para saber dicas sobre o que uma escola precisa ter para proporcionar uma boa formação para seu filho. Confira:   

Perfil pedagógico consistente

##RECOMENDA##

O perfil pedagógico é a linha de ensino que a instituição oferece. Geralmente, as escolas são divididas em linha tradicional e construtivista. Para a pedagoga Fabiana Nascimento, este é o primeiro passo para definir a instituição desejada. “É preciso pensar qual é o seu perfil de família e o que você procura naquela escola.”, afirma. Segundo ela, o indicado é que os valores da família estejam afinados com os valores da instituição. 

Para a psicóloga Ana Paula Ferreira, o perfil pedagógico pode refletir no desenvolvimento emocional, afetivo e cognitivo das crianças. “A escola pode ser mais tradicional ou de uma linha mais construtivista, o importante é respeitar os estágios de desenvolvimento cognitivo da criança”, pondera.   

Espaço físico confortável

Crianças e adolescentes têm energia de sobra. Por isso, eles precisam de uma área para correr, brincar e extravasar. Para isso, o espaço físico de uma instituição é de suma importância. “É um fator importante para o desenvolvimento da criança. Um espaço amplo proporciona mais conforto e comodidade”, afirma o diretor pedagógico Sérgio Ribeiro. 

Para Fabiana, um espaço físico amplo é fundamental principalmente para escolas de educação infantil. Segundo ela, ao contrário do que muitos pais pensam, as brincadeiras também podem ser fundamentais, principalmente para escolas de educação infantil, além de ser um formato de aprendizado. “A família pode entender mal, mas toda brincadeira feita na escola é direcionada a um propósito. Quanto mais lúdico for, mais aprendizado”, exalta.   

Corpo docente qualificado

O corpo docente de qualidade é um requisito preponderante na hora da escolha. Segundo Sérgio Ribeiro, para o responsável saber se o professor é qualificado ou não, é necessário mais que uma simples análise curricular. “Na educação básica, o mestrado e doutorado não é um divisor de águas. Se você observar, existem professores que não possuem mestrado e doutorado e são excelentes profissionais”, evidencia. O profissional afirma que ao invés de perguntar sobre a qualificação do profissional, os pais devem perguntar como a escola encara o processo de formação contínua com os educadores. 

Para Ana Paula, além de um bom quadro de professores, é importante que a escola forneça acompanhamento psicológico. “Esses profissionais fazem a mediação necessária entre professores, coordenação pedagógica e vivenciam essa rotina na sala de aula com as crianças”, diz. Segundo ela, o papel do psicólogo nas escolas não é o de fazer atendimento clínico, mas verificar possíveis dificuldades na aprendizagem, na sociabilização e mudança de comportamento - principalmente para as crianças menores. 

Proximidade de casa

O problema dos grandes engarrafamentos, causados pelo excesso de veículos, atinge a maioria dos países. No Brasil não é diferente. Em horários de picos, justamente os períodos que as crianças vão ou largam da escola, o congestionamento é intenso. Pode parecer que não, mas este tormento pode afetar as crianças. “Os filhos podem se aborrecer no ônibus, no carro e não chegar tão disposto as aulas”, comenta Fabiana. Além disso, a pedagoga alerta para possibilidade de atrasos e perdas de aulas.   

Atividades esportivas e sociais 

Além de promover lazer e interação, atividades esportivas e sociais ajudam em várias vertentes do desenvolvimento infantil. Em ambos os casos, o trabalho em equipe, interação, disciplina são ensinados de um jeito leve e divertido. “É fundamental que as atividades físicas e sociais sejam também atreladas a parte pedagógica. O desenvolvimento cognitivo ocorre de forma paralela ao desenvolvimento psicomotor”, explica Ana Paula. 

Sérgio Ribeiro concorda com Ana. Segundo ele, as atividades não podem ser um simples lazer e, sim, uma forma de aprendizado. “É muito importante que o espaço de lazer seja conectado com a proposta pedagógica. Por exemplo, o parque infantil pode ter diferentes texturas para estimular a curiosidade e o discernimento das crianças”, afirma o diretor. 

Segurança efetiva 

A maior preocupação dos pais em deixar os filhos na escola é com o fator segurança. Para isso, a instituição deve proporcionar aos genitores a confiança que nada de grave irá ocorrer com seus filhos. Credenciamento dos pais ou responsáveis para levar os alunos, controle de acesso, entre outros fatores, são fundamentais para passar a segurança necessária. “A escola tem que ter uma política de segurança muito forte. O ideal é ter uma política de acesso rígida, realizar cadastramento dos portadores e monitorar áreas de risco, explica Fabiana Nascimento.

Já Sérgio afirma que outro fator pode ser determinante sobre o tema. Segundo ele, como os pais não têm tanto tempo de irem nas escolas, um sistema de comunicação efetiva pode ser de grande utilidade. “Outra coisa que está conectada com segurança é o controle de frequência. Por exemplo, um aplicativo de comunicação para esse fim. Hoje a segurança, conectada com essa comunicação, é muita requisitada”, exalta.

    Projeto de adaptação

É um grande desafio para os pais de primeira viagem deixar o filho na escola pela primeira vez. Para a criança também não é fácil, elas choram e ficam assustadas com o novo ambiente. Por isso, a escola deve ter habilidade ao lidar com este tipo de situação. “É importante que ocorra o processo de adaptação: os pais levam as crianças, e elas, inicialmente, não ficam todo o período de aula. Os pais devem ficar em curto espaço, observando a interação”, fala Ana Paula. Ela afirma que esse período deve ser normalizado gradativamente, com o auxílio e compreensão dos pais. 

Para Sérgio Ribeiro, se o processo for feito de forma desordenada, a criança pode ficar traumatizada e sentir dificuldades na adaptação. “O processo de 'desmame' tem que ser feito com muito respeito e com muita psicologia envolvida. Caso contrário, fica muito difícil a criança transitar na escola”, afirma. Ainda segundo ele, as turmas compostas por crianças menores devem contar com uma equipe de acompanhamento ampla e multidisciplinar.   

Opinião do filho

Apesar de para algumas famílias não ser um fator decisivo na hora da escolha, a opinião dos filhos deve ser levada em consideração. Na hora de uma possível visita para conhecer a estrutura da instituição, os pais devem leva-los e monitorar as reações dele. “É necessário que o filho participe deste processo, porque ele é o principal interessado nesta escolha. Então, é importante levar a criança, saber o que ela achou do lugar”, diz Ana Paula. 

Para Fabiana, a participação dos filhos deve ser efetiva. “Claro que a posição final é dos pais, por questão de maturidade. Por isso, é importante que as crianças façam parte da visita, que ela seja consultada”, destaca.   

Fator disciplinar

A parte disciplinar de uma escola vai muito além de suas normas e regras. Ela pode ser observada na política de convivência ‘professor x aluno’, como nos debates de condutas promovidos pela escola. “Hoje em dia, o aluno não aceita que a escola não dialogue. Portanto, os pais devem questionar ‘Como vocês tratam a disciplina?’, ‘O aluno tem voz?’, ressalta Sérgio Ribeiro. 

Fabiana Nascimento diz que, além disso, a disciplina deve estar no senso de coletividade. “A escola é o primeiro espaço, além da família, que a criança vai ser um ‘ser social’. É lá que ela vai aprender os limites do outro, reconhecer o outro como diferente dela e respeitar as diferenças”, explica.   

Inclusão digital

Houve um tempo em que diziam que a tecnologia era inimiga da educação. Segundo Fabiana, esse tempo já passou. “Não podemos mais ignorar esse fator. Não podemos mais dizer que o celular é inimigo da educação”, argumenta. Para Sérgio, a escola deve transformar a tecnologia em uma aliada. “A instituição deve ter um aparato tecnológico atrativo e usá-lo como mais uma forma de transmitir conhecimento”, exalta.

O Programa Educa Mais Brasil está oferecendo 19,2 mil bolsas de estudo em escolas particulares, no estado de Pernambuco. As oportunidades são para todos os níveis da educação básica, desde o berçário ao ensino médio. As bolsas são de 50%, nas instituições que possuem convênio com o programa.

Há oportunidades para creches e escolas particulares, na Região Metropolitana do Recife (RMR) e no interior do Estado. Para a diretora de expansão e relacionamento do Educa Mais Brasil, Andréia Torres, o programa é de suma importância para os pais que desejam fornecer uma educação de qualidade para os filhos, por um preço acessível.

##RECOMENDA##

“A educação é um investimento que deve ser encarado como prioridade, porém está cada vez mais difícil manter o custo de um filho matriculado em uma creche ou escola particular, imagine para quem tem dois ou mais? Com o auxílio do Educa Mais Brasil fica mais fácil, já que a mensalidade cai para a metade do valor, trazendo uma economia bastante significativa até o final do ciclo escolar.”, exalta a diretora.

Em todo território nacional, o programa oferta mais de 300 mil bolsas. Segundo dados divulgados, mais de 900 mil jovens já foram beneficiados em todo o País. Os interessados podem conferir os pré-requisitos de inscrição e se inscrever pelo site do programa – entrando na aba “educação básica” e depois escolhendo a cidade onde reside e instituição desejada.

*Com informações da assessoria de imprensa

Estão disponíveis as inscrições para o processo seletivo de ingresso nas escolas do Serviço Social da Indústria (Sesi) em Pernambuco. São oferecidas 1.750 vagas para os níveis fundamental e médio.

Do total de oportunidades, há 1.090 para o ensino fundamental e 660 vagas exclusivas para o ensino médio. Segundo o Sesi, “o aluno poderá cursar o ensino fundamental do 1º e 2º ano na unidade de Belo Jardim ou estudar do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e ensino médio em alguma das unidades localizadas em Araripina, Cabo, Camaragibe, Caruaru, Escada, Goiana, Ibura, Moreno, Paulista, Petrolina e Vasco da Gama”.

##RECOMENDA##

Os interessados devem procurar as escolas que oferecem turmas, conforme endereços disponibilizados no site do Sesi. Durante o procedimento, é necessário apresentar RG, CPF e declaração da instituição onde o aluno estudou em 2018.

Os candidatos serão selecionados por meio de uma prova de conhecimentos sobre as disciplinas de matemática e português. Confira os preços das mensalidades e descontos disponíveis.

O Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou na terça (4) a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do ensino médio. O documento define o conteúdo mínimo que será ensinado em todas as escolas do país, no ensino médio, públicas e privadas.

Na prática, a BNCC deverá ser implementada até 2021. “A grande diferença do ensino médio a partir de agora é uma mudança, um ensino médio que não é mais o mesmo ensino médio para todo mundo. Ele precisa trabalhar com diferenças que existem do ponto de vista regional e até individual do próprio estudante”, diz o presidente da comissão da BNCC no CNE, Eduardo Deschamps.

##RECOMENDA##

A partir da BNCC, os estados, as redes públicas de ensino e as escolas privadas deverão elaborar os currículos que serão de fato implementados nas salas de aula. Para isso, terão dois anos.

A BNCC tem como norte o novo ensino médio, aprovado em lei em 2017, que entre outras medidas, determina que os estudantes tenham, nessa etapa de ensino, uma parte do currículo comum e outra direcionada a um itinerário formativo, escolhida pelo próprio aluno, cuja ênfase poderá ser em linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas ou ensino técnico.

“Vemos esse processo como um ganho para a educação brasileira”, diz a secretária de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Kátia Smole. Segundo ela, governo se preparou para apoiar os sistemas de ensino e as redes estaduais no processo de implementação da BNCC. “Vamos seguir acompanhando enquanto estivermos aqui”, enfatiza.

Discussão

O documento foi aprovado hoje por 18 votos favoráveis e duas abstenções: do ex-presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), professor Chico Soares e da conselheira Aurina Santana.

A BNCC começou a ser discutida no governo de Dilma Rousseff e, após o impeachment, o documento foi modificado pelo governo de Michel Temer, o que gerou uma série de protestos. As sessões de discussão do documento no CNE têm sido conturbadas. Duas das cinco audiências públicas, em São Paulo e em Belém, foram canceladas.

Na última segunda(3), Chico Soares, que era relator do documento, deixou a relatoria. O Conselheiro Joaquim Soares Neto assumiu no lugar dele. “Sou completamente favorável a que haja uma Base que especifique os direitos do país, no entanto, nesse momento, estamos deixando de fora uma estrutura, para mim essencial”, disse Soares, que foi um dos únicos que se absteve na votação hoje. O conselheiro explica que a BNCC traz uma nova proposta de educação que não é mais estruturada em disciplinas, como é hoje.

Isso, segundo ele, encontrará várias barreiras para ser implementado, incluindo a alocação de professores. A BNCC não contempla os itinerários formativos que poderão ser escolhidos pelos estudantes. Nessa etapa da formação, a questão das disciplinas terá dificuldade maior de implementação, na avaliação de Soares.

Presente na reunião de hoje, a secretária-executiva do Movimento pela Base Nacional Comum Curricular, Alice Ribeiro, disse que houve avanços importantes comparando o documento da BNCC apresentado em abril e o documento final. Segundo ela, as redes de ensino passarão a contar com “a faca e o queijo na mão”, para implementar o novo ensino médio.

Implementação

Após revisão, a BNCC será encaminhada ao MEC e já tem data prevista para ser homologada, no dia 14 de dezembro. Junto com a homologação, segundo Kátia, o MEC apresentará os referenciais para que servirão de norte para as redes de ensino implementarem os itinerários formativos.

Os estados, que detêm a maior parte das matrículas do ensino médio, terão um ano para fazer o cronograma da implementação da BNCC e um ano para implementá-la, ou seja, o documento deverá chegar na prática, nas escolas, até 2021. Após a implementação, o documento será revisto em três anos, em 2023.

Ainda terão que ser adequados ao novo ensino médio, os livros didáticos, a formação de professores e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

[@#galeria#@]

Na manhã deste domingo (2), estudantes encaram o primeiro dia de provas do Sistema Seriado de Avaliação (SSA 1) da Universidade de Pernambuco (UPE). Com mais de 24 mil inscritos, o processo seletivo conta com 44 questões distribuídas entre as disciplinas de língua portuguesa, matemática, física, língua estrangeira (inglês ou espanhol) e filosofia. Em muitos locais de aplicação de prova, antes do início do exame prevaleceram as energias positivas de feras, parentes e professores.

##RECOMENDA##

Considerado um dos principais pontos de aplicação de provas do SSA para estudantes do primeiro ano do ensino médio, a Escola Politécnica de Pernambuco, localizada no bairro da Madalena, Zona Oeste do Recife, recebeu uma intensa movimentação no início desta manhã. Além dos candidatos que chegaram cedo para evitar transtornos na entrada do prédio, comerciantes, representantes preparatórios, escolas e professores marcaram presença no local. Entre eles, o sentimento era de positividade por um bom desempenho dos participantes.

Natural da cidade de João Pessoa, na Paraíba, Maria Clara Tabosa, de 15 anos, chegou ao Recife nesse sábado (1º) para participar do SSA 1. A viagem foi feita junto com outros colegas de classe que também encaram as questões da UPE neste domingo. Esperançosa por um bom desempenho, a estudante revelou que pretende ser aprovada na área de Comunicação Social.

“Essa prova é uma chance única, apresenta menos concorrência do que o Enem. Vimos os assuntos ao longo do ano e a nossa expectativa é que a prova apresente um nível alto, mas estamos preparados. Chegamos ontem de João Pessoa já para evitar contratempos e hoje acordados cedo, por volta das 4h. Acredito que teremos um grande desempenho”, contou Maria Clara.

Quando falamos em vestibular, o que não pode faltar é o apoio dos pais. E mais uma vez eles estiveram nos locais de aprova apoiando os filhos neste domingo, como no caso da comerciante Albanesa dos Santos, mãe de duas candidatas. “O coração da mãe fica acelerado, está a mil, se eu pudesse estava lá dentro com eles. Para tentar diminuir a ansiedade, procurei conversar, incentivar, dizendo que mesmo se elas tirarem uma nota baixa, terão outras oportunidades”, falou Albanesa.

Lucivania Alves, mãe da candidata Vitória Vitorino, de 16 anos, compartilhou palavras positivas para a jovem. “Eu tento conversar fazendo ela entender que só está começando e não adianta nervosismo. É preciso ter foco e saber o que quer. A emoção é grande, porque você vê que os filhos estão crescendo”, comentou. Luciene Barbosa, mãe da estudante Thaís Vitória, não escondeu o sentimento de ansiedade. “Ela estava bastante nervosa e eu mais ainda. Mas disse que fosse na fé, porque se Deus quiser vai dar tudo certo”, contou Luciene.

As provas do SSA 1 tiveram início às 8h15 e seguirão até 12h15, horário local. Na Escola Politécnica de Pernambuco, a entrada dos candidatos foi considerada tranquila. Nossa reportagem identificou apenas dois candidatos chegando após o fechamento dos portões, mas eles não falaram com a imprensa.

A movimentação também foi tranquila na Escola Superior de Educação Física, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife. Muitos professores e pais estiveram no local passando vibrações positivas para os candidatos.

Nesta segunda-feira (3), segundo dia de provas do SSA 1 da UPE, os candidatos responderão 46 questões das disciplinas de biologia, química, história, geografia e sociologia. A duração será novamente das 8h15 às 12h15. Lembrando que o fechamento dos portões ocorre exatamente às 8h.

Feras do segundo ano

Já na tarde deste domingo, das 14h15 às 18h15, será a vez dos candidatos do segundo ano do ensino médio enfrentarem as provas do SSA 2. As disciplinas de hoje também são língua portuguesa, matemática, física, língua estrangeira (inglês ou espanhol) e filosofia. E nesta segunda-feira, no mesmo horário, os feras respondem 46 questões das disciplinas de biologia, química, história, geografia e sociologia. Para essa etapa, quase 17 mil inscrições foram confirmadas.

De acordo com a Universidade de Pernambuco, o desempenho individual dos candidatos das duas fases será divulgado até 15 de março do próximo ano. Mais informações sobre o vestibular seriado devem ser obtidas no site do Processo de Ingresso.

Após o governador Paulo Câmara (PSB) afirmar que Pernambuco vai continuar “avançando” ao destacar indicadores sociais favoráveis ao estado divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi a vez do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), falar sobre sua atuação no comando da capital pernambucana. O pessebista utilizou as redes sociais para falar sobre a implantação de laboratórios de Ciência e Tecnologia nos colégios. 

Ao falar sobre o assunto, Geraldo chegou a comparar os estudantes das escolas públicas com os de instituições de ensino privadas. “É muito bom ver os jovens da nossa rede municipal de ensino ter oportunidades que, muitas vezes, nem estudantes da rede privada têm. Com a implantação de laboratórios de Ciência e Tecnologia em nossas escolas, conseguimos estimular ainda mais o interesse pela escola”, comparou.

##RECOMENDA##

O prefeito detalhou que a primeira escola municipal que recebeu o equipamento foi a Pedro Augusto, que aconteceu nesta sexta-feira (30). Ele falou que foi “muito bom ver o brilho nos olhos desses adolescentes”. 

 Na quinta (29), o prefeito reinaugurou a Escola Municipal dos Torrões e da Creche Escola Esperança, nos Torrões. Segundo a prefeitura, as duas fazem parte do pacote de entregas na educação que o gestor vai fazer até o fim do ano. Ainda de acordo com o governo municipal a ação faz parte do “padrão de qualidade” adotado como parte do Programa Escola do Futuro.

 A Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), do Ministério da Educação (MEC), anunciou que a população poderá participar da atualização da Política Nacional da Educação Especial do País. É a primeira vez que a opinião popular será levada em consideração nesse tipo de processo. A consulta pública estará disponível até o dia 21 de novembro, no site do Ministério.

Pais, alunos e instituições de ensino poderão acessar a consulta pública, assim como participar do processo de formatação do novo documento. O arquivo foi todo traduzido na língua brasileira de sinais (libras), para as pessoas com deficiência auditiva. Deficientes visuais podem ter acesso ao material com o apoio de aplicativos de leitura.

##RECOMENDA##

Segundo o Secadi, a elaboração do documento contou com a participação de mais de 25 entidades e de especialistas da área. “Agora é a vez de pais, alunos, professores e instituições darem a sua contribuição para que possamos organizar melhor os serviços prestados e dar mais qualidade à educação especial”, enfatiza Júlio Freitas, secretário do órgão.

Atualmente, há mais de um milhão de estudantes da educação especial nas escolas públicas e privadas da educação básica. Segundo o MEC, o objetivo é atualizar o documento para adequá-lo à legislação mais recente, melhor organizar os serviços e ampliar o atendimento a esse público. Para o Ministério, Os transtornos do espectro autista, a deficiência intelectual e as altas habilidades e superdotação são abordados de forma mais objetiva no novo texto.

*Com informações da assessoria de imprensa 

O município de Nazaré da Mata, localizado na Zona da Mata de Pernambuco, receberá oficinas gratuitas de capacitação em dança Brasílica nas escolas durante este mês de novembro, a partir do próximo sábado (10) até o dia 25 do mesmo mês. As aulas serão realizadas das 9h às 12h e das 13h às 16h, no Colégio Santa Cristina. 

O trabalho é promovido pelo Projeto Acorda - Ações Coordenadas em Dança, que tem apoio do Funcultura e já percorreu outras cidades do Estado com o objetivo de fortalecer, preservar e difundir dança Brasílica, uma metodologia criada pelo Balé Popular do Recife, baseada em manifestações populares, a exemplo do caboclinho, maracatu, frevo, reisado, entre outros ritmos.  Cada turma pode ter até 20 pessoas a partir dos 14 anos de idade, sem limite máximo.

##RECOMENDA##

Os grupos serão formadas por articuladores do projeto, para que jovens com algum interesse em dança ou importantes na vida cultural das comunidades sejam inseridos. No mês de dezembro o projeto retornará ao Recife, onde ficará até o dia 16, com aulas ministradas no Espaço Vila, em Santo Amaro, das 9h às 12h e das 13h às 16h.

LeiaJá também

--> Oficina trata das narrativas amazônidas no audiovisual

--> Ipojuca recebe vivência gratuita de educação musical

Na próxima terça-feira (30), 1,5 milhão de estudantes das 4ª e 5ª séries do ensino fundamental de 20 mil escolas públicas de todo o país farão a prova da 1ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas – Nível A (Obmep Nível A 2018). A informação é do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa).

A nova categoria da Obmep foi criada em setembro deste ano pelo Impa, que organiza a competição tradicional desde 2005, voltada para alunos do 6º ao 9º anos do ensino fundamental e para estudantes dos três anos do ensino médio. Desde o ano passado, a Obmep inclui alunos de escolas particulares.

##RECOMENDA##

A 1ª Obmep Nível A tem apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e dos ministérios da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações eda Educação. A participação de alunos de escolas privadas na Obmep Nível A deve ocorrer apenas em 2019 ou 2020.

Segundo o diretor adjunto do Impa e coordenador-geral da olimpíada, Claudio Landim, a expectativa é muito grande, porque é aí que está "o gargalo da matemática no Brasil". Lando, dosse que é preciso estimular alunos nessa faixa a estudar e curtir matemática. "A adesão foi muito grande; por isso, é grande a expectativa.”

De acordo com Landim, a Obmep de Nível A faz parte de um programa de formação. “Nós criamos um portal de matemática para o ensino fundamental 1, que já está no ar, disponível. E esperamos, com isso, estimular os professores a usar o portal e a preparar seus alunos, dentro dessa ideia de resolução de problemas.”

O diretor do Impa destacou que a grande virtude da prova é identificar os jovens que gostam e têm facilidade para a matemática, “que é uma área tão importante e necessária para o desenvolvimento do país”.

Escolas privadas

A Obmep Nível A tem uma fase única de provas na próxima terça-feira, mas o objetivo do Impa é que, a partir do ano que vem, os testes das duas categorias sejam aplicados no mesmo dia. A inclusão das escolas privadas no Nível A vai depender dos resultados deste ano, explicou Landim.

“Nós queremos incluí-las, esperamos poder incluir no ano que vem, mas essa prova é um pouco diferente da tradicional, na medida em que as secretarias municipais de Educação participam da organização”. Cabe ao Impa conceber e disponibilizar a prova, mas são as secretarias de Educação que imprimem, corrigem e distribuem a prova nas suas escolas. Na Obnep tradicional, é o Impa que concebe, imprime, distribui e corrige as provas.

Sigilo

Para Landim, o fato de as secretarias de Educação se encarregarem da impressão e distribuição das provas traz o problema de quebra de sigilo. “É um problema adicional, porque as provas chegam às escolas antes da data da aplicação, e as escolas têm de participar na preservação do sigilo da prova. Fazer isso com as secretarias municipais é mais fácil do que com as escolas particulares, que são em número muito maior.” Ele disse que este é um problema de logística que o Impa terá de resolver.

Cerca de 1,5 mil secretarias de Educação e representantes de escolas federais fizeram suas inscrições gratuitas para a Obmep Nível A no período de 11 de setembro ao dia 10 deste mês. A prova tem 20 questões objetivas e deverá ser feita pelos estudantes no prazo de uma hora e meia. A prova será aplicada nas escolas inscritas.

O Impa esclareceu que o modelo de organização da prova, em que o instituto responde pela parte acadêmica e as secretarias cuidam da aplicação, correção de provas e eventuais premiações, foi testado com sucesso no município de Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, em agosto passado.

De acordo com o Impa, o conteúdo das provas segue os parâmetros curriculares nacionais para alunos de 4º e 5º anos do ensino fundamental. O objetivo da Obmep é estimular o estudo da matemática, contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica, além de identificar jovens talentos e promover a inclusão social.

Os embates políticos que tomaram conta do País em rodas de amigos e encontros familiares também chegaram às escolas e desafiam educadores. Colégios particulares de São Paulo procuram formas de conter desavenças entre alunos e professores e conflitos entre pais com posições ideológicas diferentes.

O colégio Santa Cruz, no Alto de Pinheiros, na zona oeste, encaminhou nesta semana uma carta aos pais e estudantes pedindo o "respeito e diálogo, sem ofensas, medos ou intimidações". O comunicado foi enviado após a direção ser informada que estavam ocorrendo discussões entre alunos dentro da unidade e entre pais, em grupos de mensagem.

##RECOMENDA##

Algumas escolas também passaram a receber reclamações de pais porque resolveram discutir a situação política em sala de aula. "Apesar da maioria entender, alguns querem que o professor seja proibido de falar sobre política ou eleições. Essa discussão faz parte da nossa concepção de formação e desenvolvimento do aluno", explica o diretor do Colégio Santa Maria, na zona sul, Silvio Freire.

A aposentada Márcia Marolla, de 56 anos, acredita que alguns professores "estão fazendo a cabeça dos jovens" em suas aulas. "Sei que 80% dos que trabalham na escola têm uma ideologia mais à esquerda, que diverge da minha posição. Minha filha tem uma posição forte e não é influenciada nem pela família, mas não sei qual é o impacto nos outros alunos", diz.

A filha Maria Fernanda, de 16 anos, discorda e diz que os professores dão espaço e liberdade para todos os tipos de pensamento na escola. Ela conta que, na semana passada, um professor fez um comentário irônico sobre o capitalismo e foi questionado. "Todos sabemos que o professor é de esquerda e esse aluno, de direita. Foi uma discussão saudável, com os dois lados sendo respeitados." Ela, no entanto, diz que se decepcionou ao descobrir em quem alguns professores vão votar nas eleições presidenciais. "É triste descobrir que alguns optaram por um candidato com valores totalmente opostos aos meus."

Os mesmos questionamentos causaram atritos no Colégio Cantareira, na zona norte, quando os estudantes do ensino médio resolveram perguntar o voto de todos os professores. "Um falou que ia votar no Bolsonaro e os alunos se desencantaram", conta o coordenador Gilson Donato.

Por outro lado, ele ouviu reclamações de outro grupo de que determinada professora seria petista e "estaria defendendo ladrão". Segundo Donato, a docente fez um comentário em aula contra o armamento da população e não falou sobre candidatos. "É muito complicado, porque o aluno tem confiança no nosso conhecimento. Se eu me coloco no lado oposto ao dele ou dos pais, pode se perder o vínculo."

Segundo a educadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Maria Márcia Malavasi, a escola é um reflexo da sociedade e não deve deixar de discutir os temas atuais. "Se essas discussões já tivessem amadurecidas nesse espaço, haveria menos conflitos", diz.

Ofensas

Uma pichação racista e pró-Bolsonaro em um banheiro do Cursinho Anglo, na região central, fez com que a discussão política fosse levada para a sala de aula mesmo em um período em que o foco está nos vestibulares. "Normalmente, os alunos e os professores não falam sobre política porque estão muito concentrados nas provas. Mas tivemos de entrar nas salas e abordar o assunto porque muitos alunos, negros, mulheres e gays, se sentiram inseguros. Precisamos nos posicionar para garantir tranquilidade a eles", disse Renan Miranda, diretor do Anglo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Nas próximas segunda (22) e terça-feira (23), será realizado o Encontro Municipal de Audiovisual na Educação (Emcine), que trará atrações do universo geek. Além disso, serão apresentados 290 filmes produzidos por alunos e professores de escolas municipais do Recife. 

O evento é gratuito, será realizado no Centro Cultural dos Correios, no Bairro do Recife. Para participar, é necessário fazer a inscrição previamente através do site do encontro. Além das exibições de filmes, haverá também outras atividades como concursos de cosplay, K-Pop, Hip Hop, desafio HQ, karaokê, palestras e oficinas.

##RECOMENDA##

Entre os convidados, está Clayton Sangregório, dublador de séries como Cavaleiros do Zodíaco e The Walking Dead, e Andressa Bodê, que dá voz a personagens de seriados como Girls e Doctor Who. Confira a programação completa.

LeiaJá também

--> LeiaJá estreia programa sobre cultura geek

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando